segunda-feira, 29 de outubro de 2007

À espera da fotografia



=P

melhores momentos 2007



Para mim...um dos melhores momentos do ABS 07.
(Desculpem a qualidade)

terça-feira, 23 de outubro de 2007

sítio favorito dentro do sítio?!

Hum... Pois João... realmente é complicado escolher. Cada cm de espaço esconde uma história (ou muitas). Literalmente. Vou só enumerar alguns.
A entrada, por me lembrar a ansiedade e a expectativa de mais uma semana.
O salão, pelos motivos óbvios. Ponto de partida de questões, dúvidas, crescimento, transformação.
O refeitório, palco de refeições (das mais normais às mais extravagantes!) e não só... as incontáveis noites das brincadeiras, as noitadas dos monitores para preparar material para o dia seguinte e para conversar, orar, rir aparvalhadamente, cear.
O "merry-go-round" (Desculpem-me. Alguém sabe o nome em português daquela coisa que andava à volta, com bancos, em ferro?) que já não existe há muitos anos. Lembro-me de, com uns 8 ou 9 anos, ter andado à volta com um certo rapazito que me falava de gambuzinos e sei lá que mais. Foi uma paixoneta naquele ano longínquo.
Os baloiços, pelas conversas que guardam e pelos desabafos.
Aquele arco do parque em especial, onde o Tiagão me perguntou pela primeira vez se queria ir à noite de gala com ele. lol
O muro ao pé do campo de futebol, onde tomei uma decisão difícil com a ajuda da Sis.
O sombreiro, onde aprendi a jogar ping-pong com o Filipe Maia.
Aquele pinheiro, fora dos muros, depois do parque, onde (com mais alguém que não me lembro quem, mas provavelmente a Nádia) sentadas, orámos e cantámos entre outros corinhos, o "Renova-me".
Aquela noite em que viemos para o telhado (a Nádia, a Filipa Guerra e je) com os sacos-cama, para olhar as estrelas e conversar.
Os quartos, também palco de tantas conversas e noites em claro

E etc... Podia continuar até ao fim da semana...

Quero ouvir do resto do pesoal! Acho que há sempre as coisas comuns a todos os que amam aquele lugar.

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

já agora obrigado

até parecia deselegante da minha parte não agradecer o convite que me foi feito para contribuir "escritamente" para o blog...

então cá vai: obrigado :)

coca-cola? não, RC Cola...

pessoal quem é que ainda se lembra da RC Cola? =)

finalmente

finalmente ganhei "coragem" para escrever aqui.

sinceramente não sei bem por onde começar, visto que muiuta coisa há a relatar sobre o abs.

dizer que os gambuzinos já deram muitas histórias que contar... ou que o Ti Pedro foi alguém marcante na vida dos acampamentos... ou que poucos são os que sabem o que é o abs, o verdadeiro abs...

os tempos são outros mas aquele recanto do mundo é um marco na minha vida... são quase 20 anos de campista e creio que nada pode ser tão emocionante que passar aquele portão...

dizer que o portão já deu inspiração a serenatas faz-me ir para as escadas que dão acesso aos quartos que por sua vez dão acesso às camas... antes das escadas há o refeitório; é claro que para haver refeitório tem de haver cozinha, e muitas foram as noites em que eu juntamente com ou o isaac, ou a nádia, ou a raquel, ou a marta, ou o rui, o a mireille, ou até mesmo com a fernanda, procuravamos no frigorifico as sobremesas que tinham sobrado (pudins, arroz doce, leite creme, etc)... o salão de cultos; o parque; o sombreiro; o campo de futebol...

sinto um arrepio por causa de algo que aconteceu há uns anos: o incêndio que alastrou aquela zona... vêr a providência de Deus ao proteger aquele lugar, faz uma pessoa pensar que ali está um lugar importante para a obra de Deus; muita gente teve o seu encontro com Deus naquele lugar...

há que preservar tamanho tesouro...

Resposta seguda de gambozinos

Epá, JP! Perguntas difíceis.
Alguns saberão que tenho família em Montargil e Ponte de Sôr. Daí que de vez em quando, sempre que tenha um minutinho extra, aquando de uma dessas visitas dê um pulinho ao ABS.
Só para ver o sítio, para me sentar no baloiço, olhar para a laranjeira do parque e ver se há lá alguma coisa, mesmo que verde e azeda.
Sítios favoritos são complicados de escolher, mas lembro-me sempre do parque e dos arcos do mesmo. Muito do tempo livre nos ABS foi passado ali, sentado ou nos baloiços ou no escorrega, ou ainda nos arcos.
Mudando de assunto. Os gambuzinos serão uma das brincadeiras mais antigas do ABS. Lembro-me de me tentarem convencer ir aos gambuzinos ainda criança, e eu fui, mesmo sabendo (como bom alentejano e filho de alguém que também foi ao ABS) o que eram os ditos cujos.
Lembro-me de um ABS Crianças em que pela noite adentro os monitores (eu incluído) escolhemos alguns dos campistas mais velhinhos para irem aos gambuzinos.
Estou a ver o Dani, por mais de uma hora e meia, no espaço em frente do portão principal, de saco na mão a dizer: Gambuzinósaco, gambuzinósaco.
E nós a rir, despreocupadamente, como despreocupadamente atirávamos pedras, no meio da escuridão, para perto dele. "Estão aqui uns, dizia ele".
Até que uma pedra caiu mais perto dele e ele viu o que era claramente.
E vocês? Foram alguma vez aos gambuzinos?

sábado, 20 de outubro de 2007

Existe um espaço mais especial?

Cumprimentos a todos, a malta (incluíndo eu) tem de ver se escreve mais... (sem contar com o Tiagão, ele é que põe isto a funcionar!!!).



Esta pergunta pode ser um bocado abrangente, mas gostava de saber se, dentro do espaço tão especial que é o ABS, existiria um local que tivesse marcado a vida de alguém de maneira especial.

Para mim, além do óbvio salão de cultos, é a entrada do mesmo, pois foi aí que tive o primeiro contacto com os jovens do acampamento. Era um certo tipo a tocar na guitarra (não muito mal, diga-se) a música da Adriana Calcanhoto, aquela do "aqui sem você", e de repente pára para dizer uma piada com um ligeiro grau de "engraçadez", o que despoletou uma gargalhada geral entre os ouvintes da tal balada.

Mas esperem, o refeitório também tem coisas engraçadas, como as famosas sopas. Ah, e o local da bandeira, onde além de ver-mos os símbolos do nosso país e do acampamento, cantamos o famoso hino. E depois há os baloiços. Isto afinal é complicado... escolher algo de um sítio tão maravilhoso.

Abraços!

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Recordar

O ABS são também as pessoas.
Dificilmente me recordarei de um (dos) ABS sem ter alguma ou algumas pessoas na retina memorial.
Do Valdemar e da Mª José num ABS de Crianças, de algumas monitoras quando era pequeno (eu a queria ir-me embora com a minha Tia Rosa como monitora), do Irmão Bernardino e da Irmã Carmelinda, do Pedro Silva (claro!), da Maria José na cozinha, da Prazeres e obviamente da Noémia. Há tantas pessoas nesta coisa chamada memória.
Ando para aqui há uns tempos para escrever sobre o Ti Pedro.
Mas tudo o que escrevo apago. Fica sempre aquém. Como é que um velhote ficava tão bem na fotografia, i.e. marcou tantos jovens com a sua boa disposição, com as suas quadras, com a sua presença?
Lembro-me de um ano, num retiro, ter ficado num quarto que não se portou, digamos, muito bem. Dormimos pouco, fizemos muito barulho e conversámos a noite quase inteira - dormimos 2 horas. Pelas 5h30/6 da manhã fomos a um dos quartos e lá estava o Ti Pedro, já acordado, que ao nos ver levantados convida-nos a nós, e aos membros do quarto que entretanto acorda para irmos cantar o Hino Nacional enquanto vemos o sol nascer...não, não foi ninguém, mas não foi por falta de vontade do Ti Pedro.
Lembro-me de alguém pintar a cabeça do Ti Pedro com um baton, numa das brincadeiras. E ele ali, com um sorriso enorme, pronto para a brincadeira.
E sempre pronto a contar histórias.
Não sei convosco, mas de vez em quando olho para as cadeiras em frente do refeitório, e quase que espero vê-lo ali sentado, com o cajado na mão.
Até já, Ti Pedro.
(Tenho uma foto para colocar, mas não sei se a família se importará. Alguém que diga. alguém da família)
Vocês, lembram-se do nosso Tio?

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Post Metalinguístico

alacrau
s. m.
lacrau;
fig.,
manhoso;
velhaco.


lacrau
s. m.
lacrau
do Ár. alakrab
s. m., Zool.,
escorpião.
Ictiol.,
- -do-mar: peixe teleósteo gadiforme, da costa de Portugal.

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Lacraus

Hoje pouco se dão a ver, mas um dos animais que habitam por ali são os lacraus (uma espécie indígena de escorpião), menos letal, mas igualmente dolorosa.
Lembro-me de ver, há muitos anos, com curiosidade, espanto e temor um destes bichos apanhados não sei bem por quem e de o colocarem no chão no meio de uma roda de álcool e pegaram fogo ao álcool. O lacrau quando rodeado por fogo suicida-se, picando-se a ele próprio.
Lembro-me deste episódio porque tinha ao meu lado um inglês e o irmão Bernardino.
O Irmão Bernardino falava devagar para que o inglês o percebesse, segundo ele se o fizesse lentamente as palavras seriam entendidas pelo súbdito de Sua Majestade, eu já sabia o mínimo de inglês para saber que a estratégia não resultaria, mas o Irmão Bernardino não desistiu.
O álcool não teve o resultado esperado e o bicho foi morto à paulada.

Lembro-me de em 90 ou 91 uma campista ter sido mordida por um lacrau na barragem, e de aparecer alguém dali que lhe fez uma mezinha local com tabaco, cuspo e mais qualquer coisa. A verdade é que a dor foi mitigada.

A Mireille (salvo erro) também foi mordida, num Acampamento de Jovens na Barragem.

E finalmente, anos mais tarde, num Acampamento de Crianças tive um encontro imediato de terceiro grau que não esqueço.
Esperava pelos restantes monitores para a reunião quando senti algo no pé, bati com o pé no chão, mas o peso continuava lá e mexia-se. Olhei para baixo e vi o bicho a passear pelo pé, pouco defendido pelo chinelo. Não ganhei para o susto. Pontapeei o ar e o lacrau saiu dali deixando-me incólume.
Agradeci a misericórdia divina.

Felizmente hoje vão-se vendo cada vez menos os escorpiões alentejanos.

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Post breve pk agora n tnh mto tempo...

Então pessoal? Parece que afinal o reencontro em Massamá foi divertido apesar de um pouco vazio. Eu não pude ficar lá muito tempo, mas agora que já não tou de castigo (BOA!) posso ir ao próximo reencontro durante mais de cinco minutos! Por isso não se esqueçam de me avisar com alguma antecendência porque, parecendo que não, dá jeito saber das coisas para aí uma semana antes... Não se esqueçam!!

sábado, 6 de outubro de 2007

Um Reencontro diferente...

2.41h da matina...Igreja Reformada de Massamá (Portugal)...Reencontro ABS 2007

Depois de um belo concerto dos Fundação (são os máiores!), estamos por Massamá, no Reencontro do ABS. Como somos muitos, a organização viu-se forçada a dividir-nos (por pena nossa) pelas casas do pessoal da igreja. Neste momento, e sem nada para fazer, conversa pra lá, conversa pra cá, acabamos a partilhar experiências uns com os outros, o que é muito bom visto que somos muitos e nem sempre há oportunidade para o fazer-mos.

Pois...pois...bem...continuando...prosseguindo...avançando...seguindo...bem agora é de vez...

Esperamos ansiosamente pelo dia de amanhã. Que surpresas nos esperam? O almoço não é de certeza porque a cozinheira de serviço já nos informou que foram encomendados 15 frangos! (será que chega para tantos esfomeados ?é sempre bom fazer uma dieta).

São 2.49 da matina e nós continuamos sem imaginação para escrever.
De momento o nosso amigo Luís já se encontra no seu terceiro sono, o que não faz grande diferença visto que somos um grande número de seres (há sempre várias maneiras de ver a coisa).

São 2.57...e do nada, esta máquina que pelos vistos tem vontade própria, decidiu descansar um pouco. Perdemos tudo o que já tinha-mos escrito até agora mas como somos muito teimosos, voltamos a acordar a máquina e lá nos pusemos a escrever tudo de novo. Entretanto recebemos uma mensagem da própria máquina a avisar-nos que ia apagar-se dentro de 5 minutos...e começou a contagem decrescente. Mas nós, como não nos deixamos vencer facilmente, voltamos a acordar esta máquina preguiçosa do seu sono e cá estamos nós a escrever novamente.

São 3.35 da matina...e nós...este conjunto infindável de alminhas...sem nada de jeito para dizer, decidimos por fim a esta inacabável conversa e revelar a verdade.
Bem...lá no fundo, mas mesmo lá no fundo porque a igreja fica numa cave, somos dois gatos pingados (sem contar com o Luís que já está a dormir. Logo somos 3) em frente a um monitor, a rir das coisas mais parvas que nos lembramos e a compartilha-las com vocês.
Até à próxima já que não puderam partilhar este momento maravilhoso (ou não) connosco!

Beijinhos e abraços e muitos palhaços

Jónatas Luzia e Lucas Nunes