sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Lacraus

Hoje pouco se dão a ver, mas um dos animais que habitam por ali são os lacraus (uma espécie indígena de escorpião), menos letal, mas igualmente dolorosa.
Lembro-me de ver, há muitos anos, com curiosidade, espanto e temor um destes bichos apanhados não sei bem por quem e de o colocarem no chão no meio de uma roda de álcool e pegaram fogo ao álcool. O lacrau quando rodeado por fogo suicida-se, picando-se a ele próprio.
Lembro-me deste episódio porque tinha ao meu lado um inglês e o irmão Bernardino.
O Irmão Bernardino falava devagar para que o inglês o percebesse, segundo ele se o fizesse lentamente as palavras seriam entendidas pelo súbdito de Sua Majestade, eu já sabia o mínimo de inglês para saber que a estratégia não resultaria, mas o Irmão Bernardino não desistiu.
O álcool não teve o resultado esperado e o bicho foi morto à paulada.

Lembro-me de em 90 ou 91 uma campista ter sido mordida por um lacrau na barragem, e de aparecer alguém dali que lhe fez uma mezinha local com tabaco, cuspo e mais qualquer coisa. A verdade é que a dor foi mitigada.

A Mireille (salvo erro) também foi mordida, num Acampamento de Jovens na Barragem.

E finalmente, anos mais tarde, num Acampamento de Crianças tive um encontro imediato de terceiro grau que não esqueço.
Esperava pelos restantes monitores para a reunião quando senti algo no pé, bati com o pé no chão, mas o peso continuava lá e mexia-se. Olhei para baixo e vi o bicho a passear pelo pé, pouco defendido pelo chinelo. Não ganhei para o susto. Pontapeei o ar e o lacrau saiu dali deixando-me incólume.
Agradeci a misericórdia divina.

Felizmente hoje vão-se vendo cada vez menos os escorpiões alentejanos.

6 comentários:

Anónimo disse...

Tambem eu cresci a ouvir historias de lacraus. A minha avó sempre me contou, mais do que uma vez, todas as vezes que esta tinha sido picada por um dos mesmos.

Lembro-me de uma vez à noite, em que regressava do ABS com a minha mãe até à minha casa lá em baixo e de termos um lacrau à porta de casa! Lembro-me como se fosse hoje e achei aquilo espectacular!O animal em posiçao de ataque a olhar para nós.

Tambem me recordo de alguem que apanhou lacraus e os meteu dentro de um frasco de vidro.terá sido a primeira vez que os observei de perto!

O incidente da mireille e a historia do "anel de fogo" continuam nítidos na minha mente!

É engraçado mas as recordaçoes mais antigas que tenho são todas do ABS!

Qualquer dia tambem me inicio aqui neste blog!

beijinhos

Marta

Anónimo disse...

What are you waiting for?
Há tanta gente a escrever aqui...
Ficamos (eu fico) à espera.
Tiagão

Anónimo disse...

Também me lembro dos "alacraus".

Anónimo disse...

Sempre pensei que fosse "alacrau".

Rute Carla disse...

Pois...eu ía dizer o mesmo...pensava euque era alacrau. São imensas as recordações que tenho deles. A que mais me marca até hoje,era eu pequenita, quando (penso que era um senhor de Paio Pires)os apanhava e punha dentro de um frasco, dentro de um frigorífico velho que esteve durante algum tempo no campo de futebol. Também me recordo bem das torturas aos pobres dos bichos. Cada vez que se apanhava um, fazia-se uma roda de fósforos acesos e colocava-se o "alacrau" no meio dela. À noite era um espectáculo digno de ser visto!

ágape disse...

é só para dizer que a Sandra Seueira devia postar este blog e falar da experiência dela a correr à volta do acampamento porque viu um lacrau no quarto...
Perguntem à Nádia que ela confirma-vos!!
Foi rir de rebolar no chão,agarrado à barriga de não aguentar mais..